quinta-feira, 16 de abril de 2009

Saudades






Hoje encarei a multidão.
Vi evangélicos rezando.
Ateus apressados.
Alguns liam livros, outros escutavam suas músicas.
Ai de repente vi o teu rosto, lembrei do tempo em que estava comigo.
Lembrei das nossas conversas e de como odiava a pressa do povo.
Lembrei de como me ensinou sobre música boa e poesia.
Lembrei de você.
Na verdade, eu nunca te esqueci.
A saudade que achei que tinha passado, na verdade só estava camuflada por algo.
Amores antigos e novos se passaram.
Você não viu nenhum deles. Ou viu.
Ouviu eu rezar de noite.
Não existe linha que divide o amor da saudade.
São duas linhas que se cruzam constantemente.
E mente quem diz que nunca sentiu.
Em mente sempre estará.
Amanhã é mais um dia sem você.
Amanhã, só amanhã, não quero sentir isso de novo,
mesmo sabendo que é impossível.







2 comentários:

  1. lindo Gica... adorei!!!!

    passa no meu blog que tem texto novo!!!

    Bjossssss

    ResponderExcluir

 
©2007 '' Por Elke di Barros